Conheça a adolescente que se inspirou na mãe para mudar de vida, de corpo e ter mais saúde

Os maus hábitos alimentares na adolescência de Rachel acabaram lhe dando um corpo do qual ela não tinha orgulho. Com a ajuda da sua mãe e um comprometimento com uma dieta saudável e flexível, ela emagreceu e criou massa muscular.

As vezes, a resposta está bem na nossa frente, mas não estamos prontas para vê-la. No caso de Rachel Auer, a inspiração vinda da sua mãe foi o necessário para mudar a sua vida, mesmo que ela inicialmente tenha ignorado essa influência positiva.

"Minha mãe era instrutora de um grupo fitness. Ela cuidava muito da sua alimentação e era muito saudável, mas por algum motivo, eu não estava seguindo aquele caminho" diz Rachel.


Quando era adolescente, alguns dos lanches preferidos de Rachel depois da escolha eram miojo, congelados e pipoca salgada de micro-ondas, tudo com muito molho e queijo. Eventualmente, seus maus hábitos deram a ela um corpo que ela tinha dificuldades de amar. Ela viu que tinha que ficar saudável para mudar.

Com a ajuda da sua mãe, Rachel transformou-se de alguém seriamente fora de forma para uma garota saudável, fit e forte! Uma transformação total aconteceu durante aqueles anos difíceis do ensino médio.

Essa é a história de Rachel.


Qual foi o momento que você decidiu mudar?

Era maio, e eu estava dentro de um provador em uma loja. O verão estava chegando, eu estava provando trajes de banho, e só me lembro de estar inundada de sentimentos de vergonha. Eu tinha vergonha do jeito que meu corpo estava e não conseguia me imaginar ao redor de amigos com trajes de banho, eu me sentia muito insegura.

Quais mudanças você decidiu fazer?

Minha mãe sugeriu que eu começasse a correr e mudar minha dieta, então eu segui os seus conselhos. A primeira vez que eu corri foi por uns 500 metros, e foi realmente difícil. Eu estava totalmente desestimulada, fui para casa e falei para minha mãe que correr não era para mim e que eu não queria mais fazer isso. Ela me disse que o que eu queria não era algo que vinha fácil, e precisava de prática. Minha mãe foi a que me incentivou a persistir até eu melhorar.

Em alguns dias, eu já conseguia correr por 1km. Logo depois disso, já estava correndo 2km. Quando eu cheguei a 7km, foi realmente fácil correr mais e mais cada vez. Antes de eu perceber, estava correndo 20km. Depois de 5 meses, corri minha primeira meia maratona. Um ano depois, eu corri minha primeira maratona, a Detroit Free Press Marathon.

O que te fez querer começar a praticar musculação?

Minha mãe sempre praticou musculação, e ela tem muitos músculos aparentes pelo seu corpo. Eu tomei ela como modelo.  Eu também não estava mais satisfeita com o jeito que minha aparência estava. Correr baixou muito meu peso, estava com 56kg. Eu estava magra, mas queria ficar fit e forte!

Rachel com sua mãe

Quando você começou com a musculação, quais foram os exercícios que você fez?

Eu não tinha nenhuma experiência com musculação, e descobria vários exercícios na internet, assistindo a vídeos e lendo muitos textos, conhecendo cada grupo muscular. Escolhia alguns exercícios por dia e fazia-os por circuito.

No início, eu ficava um pouco nervosa e envergonhada, pois não tinha certeza se estava fazendo tudo certinho, mas quando me dei conta de que todos na academia possuíam um objetivo em comum, fiquei mais tranquila. Além disso, todos era muito gentis e me ajudavam quando necessário.


Como foi mudar a sua dieta?

No início, eu tentei limitar os carboidratos ao máximo, então eu ficava longe de alimentos como pão e arroz. Minha cota de carboidratos vinha basicamente de vegetais e saladas. Quase todos os meus cafés da manhã eram simplesmente claras de ovo e espinafre. Almoços e jantares eram banhados a frango.

Minha dieta era composta por alimentos muito simples. O problema era que nada tinha um gosto muito bom.

Foi difícil manter uma dieta restritiva? 

Definitivamente, sim. Por oito meses eu comi muito limpo, com no máximo 5 refeições livres durante todo este tempo. Mas depois de tanto tempo comendo assim, comecei a sentir toda essa privação.

Meus desejos estavam fora de controle e comecei a me descontrolar. Eu via bolachas na despensa, decidia comer só uma, e comia o pacote inteiro.

Eu eventualmente mudei para uma dieta mais flexível. Isso me deu mais liberdade de comer os alimentos que amo, desde que estejam de acordo com os macronutrientes que eu preciso.

O que você come agora que não comia quando fazia uma dieta mais restritiva?

Antes, eu nunca comia barras de proteína, por exemplo, pois elas possuem carboidratos. Agora eu como barras de proteína quase todos os dias. 

Eu como panquecas proteicas, também. Eu acho que a maior mudança foi que parei de ter medo dos carboidratos, e eles realmente não fazem o mal que eu pensava.


Eu gosto muito de doces e descobri que não preciso comer perfeitamente o tempo todo. 

Qual foi a parte mais difícil da sua transformação?

O aspecto mais desafiador para mim foi o que os outros tinham para dizer sobre meus hábitos, especialmente durante meu treinamento para a maratona. Ninguém entendia porque eu ia para a cama sexta à noite as 20h para acordar para correr as 4 da manhã. 

Pode ser difícil continuar quando os amigos mais próximos falam coisas negativas sobre sua disciplina. Eu era zombada por dizer não para atividades "normais" de adolescente como sair para comer porcaria.

Como você conseguiu se manter na linha mesmo sem o apoio dos seus amigos?

O que me manteve em linha foi ver o quão longe eu já havia chegado. Olhar para trás e lembrar que eu não conseguia correr 500 metros me motiva. Eu me senti como se finalmente tivesse descoberto algo que me fizesse feliz e em que eu era boa. Eu pensava no quão longe eu poderia chegar. Naquele momento, não importava o que ninguém pensava.

Quais são os seus planos para o futuro?

Quando eu fizer 18 anos, eu quero me tornar personal trainer. Minha mãe construiu relacionamentos com as pessoas que vêm à sua aula, e eu vejo como eles são agradecidos à ela. Parece que saber que você está ajudando alguém é algo muito bom, e faze-los atingir os seus objetivos é recompensador. Eu quero isso para mim.


Adaptado de Bodybuilding

2 comentários:

  1. Linda história, é muito saudável quando a saúde é de família, e muito mais fácil de manter também. Inspirador!

    ResponderExcluir
  2. Que todas as mães sejam saudáveis e sirvam de modelo às filhas! Parabéns à esta mãe que conseguiu transformar a cabeça de uma adolescente!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.