O corte drástico de calorias traz pelo menos 5 danos para a saúde - e um deles pode ser irreversível!



Muitas pessoas, quando querem perder peso, diminuem o número de calorias ingeridas.

Entretanto, restringir calorias drasticamente pode levar à vários problemas de saúde, incluindo redução na fertilidade e ossos mais fracos.

Esse artigo descreve 5 dos efeitos negativos que a restrição de calorias pode ajudar a desencadear: 

As suas necessidades calóricas

Uma caloria é definida pela quantidade de calor necessário para aumentar a temperatura da água em 1ºC.

Entretanto, faz mais sentido pensar em calorias como a unidade de medida da quantidade de energia que o nosso corpo recebe dos alimentos e bebidas que consumimos.

O nosso corpo necessita de calorias para funcionar e as usa para manter três processos principais (1):

Taxa metabólica basal: Refere-se ao número de calorias necessárias para as funções básicas do corpo, incluindo o bom funcionamento do cérebro, rins, coração, pulmões e sistema nervoso.

Digestão: Nosso corpo usa uma certa quantidade de calorias para digerir e metabolizar os alimentos que ingerimos. Isso também é conhecido como o efeito térmico dos alimentos.

Atividade física: Refere-se ao número de calorias necessárias como combustível para as atividades do dia a dia.



Falando em geral, comer mais calorias do que o corpo necessita vai causar ganho de peso, a maior parte em forma de gordura. Comer poucas calorias pode levar à perda de peso. (2, 3, 4).

Esse conceito de balanço de calorias, que é definido por pesquisas, é o motivo das pessoas que tentam perder peso diminuirem o consumo de calorias. (5, 6, 7).

Entretanto, restringir muito o número de calorias pode danificar a sua saúde de 5 maneiras diferentes.

Continue lendo e entenda mais.

1. Pode desacelerar o seu metabolismo


Comer menos calorias do que o seu corpo necessita regularmente pode causar uma desaceleração drástica no seu metabolismo, em até 23%. (8, 9, 10).

Além disso, essa diminuição do metabolismo pode persistir mesmo após a restrição de calorias ter cessado. (10).

Pesquisadores acreditam que essa diminuição no metabolismo explica parcialmente porque mais de 80% das pessoas recuperam o peso perdido depois de emagrecer por dietas de restrição calórica. (10).

Uma das maneiras que a restrição de calorias desacelera o metabolismo é devido à perda muscular que ela acarreta. (11, 12, 13).

Essa perda muscular tem mais chance de ocorrer em dietas de restrição calórica e com pouco consumo de proteínas, aliado ao sedentarismo. (14, 15).

2. Pode causar fadiga e deficiência de nutrientes


Ingerir menos calorias do que o corpo necessita regularmente pode causar fadiga e torna mais desafiador para que consigamos a quantidade necessária de nutrientes que o corpo necessita.

Por exemplo, dietas super restritivas podem faltar nas quantidades de ferro, folatos ou vitamina B12, o que pode levar à anemia ou fadiga extrema. (16, 17, 18).

Além disso, a quantidade de carboidratos que ingerimos também é importante para uma boa disposição.

Vários estudos sugerem que dietas restritivas com poucos carboidratos causam fadiga e indisposição. (19, 20, 21, 22).

Dietas restritivas também tendem a limitar o consumo de outros nutrients também, incluindo:

Proteína: Não ingerir proteína suficiente diariamente pode causar perda muscular, queda de cabelo e unhas quebradiças. (25).

Cálcio: Não ingerir cálcio suficiente reduz a força dos ossos e aumenta o risco de fraturas. (26).

Biotina e tiamina: A falta de biotina e tiamina (presente nos grãos integrais, legumes, ovos, laticínios, nozes e sementes) resulta em fraqueza muscular, queda de cabelo e pele escamosa. (27, 28).

Vitamina A: Não ingerir Vitamina A suficiente faz o nosso sistema imunológico se tornar mais fraco e leva à danos oculares permanentes. (29).

Magnésio: Uma ingestão insuficiente de magnésio causa fadiga, dores de cabeça, dores musculares e ritmo cardíaco anormal. (30).


Para prevenir a falta de qualquer nutriente no corpo não é necessário apenas consumir a quantidade ideal de calorias diariamente, mas também ingerir uma variedade de alimentos nutritivos e saudáveis, como grãos integrais, frutas, legumes e oleaginosas. Também é importante comer o mínimo possível de alimentos industrializados.

3. Pode reduzir a fertilidade da mulher


Restringir o número de calorias drasticamente pode afetar negativamente a fertilidade. Isso é especialmente verdade para as mulheres, já que a habilidade de ovular depende dos níveis hormonais.

Mais especificamente, um aumento no estrogênio e no hormônio luteína é necessário para que a ovulação ocorra. (31, 32).

Interessantemente, pesquisadores mostraram que os níveis deste hormônio dependem em parte do número de calorias disponível na dieta de uma mulher. (31, 32).

Estudos mostraram que a função reprodutora é suprimida em mulheres que ingerem de 22 a 42% menos calorias do que o necessário para a manutenção do peso. (33).

Uma ingestão calórica insuficiente também reduz os níveis de estrogênio, que possui efeito negativo para os ossos e a saúde do coração. (34, 35, 36).

Sinais da redução da fertilidade podem incluir ciclo menstrual irregular ou a falta dele. Entretanto, mudanças súbitas na fertilidade podem não apresentar nenhum sintoma além da dificuldade da mulher de engravidar, então um exame médico é necessário para o diagnóstico. (37, 38).

Pesquisadores acreditam que a restrição calórica drástica também pode afetar a saúde reprodutiva do homem, mas existem poucos estudos sobre o assunto. (39).

4. Pode tornar nossos ossos mais fracos


Consumir menos calorias do que o necessário pode enfraquecer nossos ossos.

Isso ocorre pois a restrição de calorias reduz os níveis de estrogênio e testosterona. Níveis baixos destes hormônios dificultam a formação muscular e aumentam a perda óssea, resultando em osso fracos. (40, 41, 42, 43).

Além disso, a restrição calórica combinada com exercício físico intenso aumenta os hormônios do estresse, o que também pode levar à perda óssea. (44).

A perda óssea é especialmente problemática pois é, na maioria das vezes, irreversível, e aumenta o risco de fraturas. (45, 46).

5. Torna o seu sistema imunológico mais fraco


Restringir calorias drasticamente pode aumentar o risco de infecções e doenças.

Isso se aplica à vírus como o da gripe e é especialmente verdade quando combinado com altos níveis de atividade física. (47, 48).



Fonte: Petre, Alina. 5 Ways Restricting Calories Can Be Harmful. Available on https://authoritynutrition.com/calorie-restriction-risks/. Viewed on march 1st 2017.

Um comentário:

  1. Sempre sinto meu metabolismo super lento quando passo alguns dias comendo muito pouco, sinto até dificuldade de ir no banheiro

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.