Exercício Físico: Muda seu corpo, sua saúde e sua forma de encarar a vida

Texto maravilhoso escrito por Brad Stulberg, colunista da Outside Magazine. Ele escreve sobre saúde  e a ciência da performance humana. Neste texto, ele fala sobre como o exercício transforma não apenas sua saúde e seu físico, mas também transforma a maneira como você encara a vida, o estresse e seus relacionamentos.

Vale a leitura!


Quando eu comecei a treinar para maratonas há pouco mais de 10 anos, meu treinador me disse algo que eu nunca esqueci: que eu teria que aprender a me sentir confortável no desconforto. Eu eu não sabia naquela época, mas essa habilidade, cultivada através da corrida, me ajudaria tanto fora quanto dentro das pistas.

Não é apenas eu, e não é apenas na corrida. Pergunte à qualquer um que inclua regularmente na sua rotina pedaladas pesadas, sprints, escaladas complexas, circuitos intensos, e eles provavelmente te dirão a mesma coisa: uma conversa difícil já não parece tão difícil. Um prazo apertado não intimida tanto. Problemas de relacionamentos já não são tão problemáticos.

Talvez o motivo disso é que você está se exercitando tanto, que está muito cansado para se importar. Mas provavelmente não é o caso. Uma pesquisa mostrou que a atividade física ativa a função cerebral de curto prazo e te torna uma pessoa mais consciente. E mesmo em dias que você não se exercita, aqueles que levam o seu corpo ao limite tendem a confrontam fatores de estresse diários com um comportamento brando.

Enquanto os benefícios tradicionais do exercício físico vigoroso - como prevenção e tratamento da diabetes, doenças cardíacas, derrame, hipertensão e osteoporose - são amplamente conhecidos e divulgados, o maior dos benefícios pode ser a lição que meu treinador me passou: Em um mundo onde o conforto é rei, atividade física intensa te dá uma rara oportunidade de praticar o sofrimento.

Poucos possuem essa habilidade melhor do que atletas profissionais de alta performance, que ganham a vida suportando condições que os outros não conseguem. Para a minha coluna na Outside Magazine, eu tive o privilégio de entrevistar os melhores atletas do mundo, que levam os seus corpos aos limites mais extremos. Independentemente do esporte, o tema mais recorrente, de longe, é que eles aprenderam a se tornar confiantes em situações desconfortáveis:

- A maratonista olímpica Des Linden me disse que no km 32, em uma prova que possuía 42km, quando inevitavelmente o sofrimento entrou em ação, através de anos de prática ela aprendeu a se manter relaxada naquele momento. Ela repete o mantra "calma, calma, calma, relax, relax relax."

Des Linden

- O campeão mundial de suf Nic Lamb disse que se sente desconfortável, e até com medo, e esse é um pré requisito para surfar ondas gigantes. E ele também sabe que esse é o caminho para o desenvolvimento pessoal. 

Nic Lamb

- Evelyn Stevens, a mulher que bateu o recorde com o maior número de milhas pedalados em uma hora (29,81 milhas), disse que durante o seu treino mais intenso intervalado, ao invés de pensar que queria acabar logo, ela tentava sentir a dor, fazendo-a parte daquele momento.

Evelyn Stevens

- O grande escalador de montanhas Jimmy Chin, o primeiro americano a escalar o Mt. Everest South Pillar Route, disse que o medo está lá em tudo que ele faz, mas ele aprendeu a controla-lo. 

Jimmy Chin

Mas você não precisar escalar montanhas ou correr 2km em 5 minutos para conseguir estes benefícios. Simplesmente treinando para sua primeira maratona ou para uma competição de crossfit já te traz enormes ganhos que são transportados para outras áreas da vida.

Nas palavras de Kelly Starret, um dos pais fundadores do movimento do crossfit, "qualquer um pode se beneficiar ao cultivar uma prática de atividade física." A ciência comprova suas palavras.

Um estudo publicado pelo  British Journal of Health Psychology descobriu que estudantes universitários que eram sedentários e entraram em um programa leve (de duas a três idas para a academia por semana) reportaram uma diminuição no estresse, tabagismo, consumo de álcool e cafeína, começaram a se alimentar de maneira mais saudável, melhoraram a atuação nas tarefas domésticas e começaram a gerenciar melhor o tempo gasto estudando e o dinheiro gasto. 

Em adição à essas melhoras, depois de dois meses de exercícios regulares, os alunos também tiveram melhores resultados em testes de laboratório que analisavam o seu auto controle. Isso levou os pesquisadores a especularem que exercício físico teve um impacto poderoso na capacidade dos alunos de atravessar momentos de desconforto, de dizer "sim" quando o seu corpo e sua mente estava pedindo que dissesse "não". Isso ensinou os alunos a se manterem calmos diante de situações de estresse e de tentações.

Outro estudo, este publicado no European Journal of Applied Physiology, avaliou como o exercício muda nossa resposta fisiológica ao estresse. Os pesquisadores da Karlsruhe Institute of Technology, da Alemanha, dividiram estudantes em dois grupos no início do semestre e instruíram metade deles para correr duas vezes por semana, por 20 semanas. Ao final das 20 semanas, que coincidiu com um período particularmente estressante para os alunos - as provas finais - os pesquisadores pediram para os estudantes utilizarem monitores cardíacos para medir a variação dos batimentos, que é um indicador comum de estresse fisiológico (quanto maior variação, menos o estresse). Como você já deve ter adivinhador agora, os estudantes que praticaram corrida por 20 semanas mostraram significativa variação cardíaca. Os seus corpos literalmente não estavam tão estressados durante os exames: eles estava mais confortáveis em períodos desconfortáveis.

O mais incrível nesses estudos é que os indivíduos não estavam se exercitando em grandes volumes e intensidades. Eles estavam simplesmente fazendo algo que era fisicamente desafiador para eles - indo de zero exercício físico para duas vezes por semana. 

Exercício não serve apenas para ajudar você a ter mais saúde, e certamente não é apenas sobre vaidade. O que você faz na academia faz de você uma pessoa melhor fora dela também. 



Ler artigo original em inglês

2 comentários:

  1. Quantos benefícios maravilhosos! E assino embaixo de todos. SInto todos esses benefícios na minha vida. Pratico corrida há 3 anos.

    ResponderExcluir
  2. As matérias aqui me surpreendem, e as vezes mudam meu modo de ver várias coisas. Essa foi uma delas.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.