Conheça os exames e avaliações médicas pré-atividade física

Antes de começar a se exercitar ou ao iniciar uma atividade física que exige muito do seu corpo, há diversos exames que podem (e alguns, devem) ser feitos.


Em casos de exercícios de alta intensidade ou treinos longos pode haver desidratação excessiva, temperaturas elevadas, alta demanda energética, desgaste físico e estresse intenso (muscular, articular, celular) e sobrecarga cardíaca. Portanto, é bom conhecer bem o seu corpo antes de iniciar.

Confira quais são os principais exames realizados antes do início dos treinos e entenda porque eles são importantes para quem vai iniciar uma atividade física.

Antropometria

A antropometria avalia as medidas de peso, estatura, proporções do corpo e composição corporal. Com esses dados é possível determinar o índice de massa corporal (IMC) que irá dizer se a pessoa está com baixo peso, sobrepeso ou obesidade (graus I, II e III). A partir da avaliação das circunferências abdominal e do quadril pode se estabelecer a relação cintura/quadril, associada ao diagnóstico de acúmulo de gordura central. Em ambos os casos, relação cintura/quadril e IMC, se tem uma correlação direta com maior risco de eventos cardiovasculares e mortalidade.

Densitometria de corpo total

Este exame permite saber a composição corporal, quantidade de músculos e de gordura do corpo. Ele é importante para que o médico saiba o quanto de musculação a pessoa precisa fazer. O teste ergométrico irá dizer a frequência cardíaca da pessoa para o treinamento, mas se ela tiver poucos músculos, eles não terão como responder aquela frequência cardíaca, o coração é capaz de acompanhar, mas as pernas não.

O excesso de gordura também está relacionado com problemas de saúde. O risco de eventos cardiovasculares é maior. Por ser um método não invasivo e preciso é possível continuar com reavaliações a longo prazo, após uma mudança na dieta aliemntar e de treinamento.

Perimetria

A perimetria é a medida da circunferência de um segmento corporal, como membros, abdômen, cintura e quadril. Assim, é possível comparar os membros superiores e inferiores em relação à assimetria de um membro com o outro que eventualmente pode prejudicar o treinamento.

Avaliação de postura, força e flexibilidade

A avaliação postural é muito importante porque permite um detalhamento do equilíbrio músculo esquelético, identificando eventuais acentuações de curvaturas fisiológicas como projeção dos ombros à frente, cintura escapular, coluna vertebral, cintura pélvica, joelhos e pés.

Já a avaliação de flexibilidade é realizada no banco de Wells que permite identificar grupos musculares na região posterior da coxa (os isquiotibiais), com déficit de comprimento ou encurtamento. Dessa forma, se permite uma intervenção preventiva contra lesões musculares e melhorar o desempenho. Afinal, para realizar treinos intensos a pessoa precisa de uma amplitude da musculação o mais próximo do normal possível.



Teste cardiopulmonar

O teste cardiopulmonar avalia o consumo máximo de oxigênio, frequência cardíaca e a pressão arterial. O exame ajuda a saber qual será a intensidade do treino da pessoa. Também irá avaliar a saúde do atleta. Isto porque ele analisa algumas variáveis que possam colocar em risco o esportista durante a prática de atividade física de alta intensidade, como possíveis arritmias induzidas pelo esforço, monitoramento da pressão arterial e eventuais alterações ou sintomas sugestivos de doença coronariana. O hemograma também é necessário antes dos treinos

Para realizar esse teste o paciente é submetido a uma atividade física aeróbica, normalmente corrida ou andar de bicicleta, o exame pode ser feito um ambiente fechado na pista de corrida. São colocados eletrodos no paciente e uma máscara que capta o fluxo de ar inspirado e expirado, oxigênio e CO2. O teste consiste em um aumento linear e progressivo do aeróbico até a exaustão. 

Exames laboratoriais

Os exames laboratoriais são importantes, pois permitem saber determinadas restrições ao exercício e ao treinamento. O hemograma completo irá mostrar a quantidade de glóbulos vermelhos. São eles que transportam o oxigênio para o sangue, se houver alteração na quantidade o fornecimento de energia para o músculo fazer seu trabalho é comprometido.

Já o exame de glicemia em jejum permite saber se a pessoa é diabética ou não, enquanto o de colesterol permite constatar os benefícios do treino. Isto porque com os exercícios o colesterol bom, HDL, irá aumentar. O exame de triglicérides, que avalia a quantidade de um tipo de gordura no sangue, e o de ácido úrico, que observa o metabolismo de proteínas também são realizados. 

Avaliação com nutricionista


Para ter um bom treino é preciso uma boa recuperação e isso somente é conseguido com repouso, uma boa noite de sono, e fornecimento adequado de macro e micronutrientes por meio da alimentação equilibrada. Eles irão suprir as demandas energéticas e auxiliar na reparação celular pós-treino. Sendo assim, é imprescindível uma avaliação individualizada com uma nutricionista para adequar e reestruturar os hábitos alimentares suprindo as necessidades do exercício, incluindo a proporção de carboidratos, proteínas e gorduras na dieta e a orientação da quantidade e horário de cada refeição de acordo com o treino.

Fonte: Minha Vida


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.