Os melhores e os piores adoçantes para a saúde

   É de conhecimento comum que o açúcar não é algo saudável. Para substitui-lo temos muitas opções de adoçantes químicos e naturais no mercado sendo que, muitas vezes, acaba ficando difícil discernir o que é mais benéfico para a nossa saúde. 

   Conheça agora um pouco mais sobre alguns tipos de adoçantes encontrados no mercado e o bem (ou mal) que ele nos traz:

Aspartame

   Há algumas evidências conflitantes sobre a segurança do uso do aspartame, um adoçante químico comum usado em refrigerantes light e outros alimentos de baixa caloria, mas há algumas pessoas que relatam dores de cabeça ou mal-estar geral após a ingestão de qualquer coisa que contenha este químico. 

   Concordamos que, para tornar a vida mais fácil e saudável para todos, ingerir ou não o aspartame é um caso em que deveria-se pensar que "é melhor prevenir do que remediar". Isso também porque a Universidade de Liverpool fez um estudo que misturou aspartame com um alimento comum, e o aspartame, após isto, tornou-se tóxico para as células cerebrais. 

   Além disso, estudos em animais sugerem que o aspartame realmente aumenta os níveis de glicose no sangue de forma semelhante ao açúcar, o que poderia explicar a associação entre refrigerantes lights e diabetes.

   Só mais uma coisa: Pesquisadores descobriram que um produto presente nele é formaldeído, um causador de câncer conhecido. Doce? Acho que não.

Mel

   Mesmo o mel tendo um alto nível de frutose, ele também contém grande quantidade de antioxidantes que defendem do câncer e agem contra o envelhecimento precoce, além de aliviar os sintomas de alergias, entre muitos outros benefícios. O mel também possui um índice glicêmico baixo, podendo ser adiciona tranquilamente ao chá, iogurte, pão, ou qualquer outro alimento!

Néctar de Agave

   Muitos dos néctares de agave vendidos consistem em 70 a 90% frutose, o que é mais do que o que é encontrado no xarope de milho de alta frutose! O agave é enganoso porque tem sido comercializado como uma alternativa saudável.

   Mesmo que ele não cause um grande pico de açúcar no sangue como o açúcar, os níveis elevados de frutose do agave vão diretamente para o fígado, onde o órgão reposiciona como gorduras do sangue chamadas triglicérides, aumentando o risco de doenças cardíacas. Estes elevados níveis de frutose podem também contribuir para a resistência à insulina, um factor de risco para a diabetes, bem como doenças no fígado. O fígado é o principal metabolizador de gorduras, ele se livra de toxinas, então quando há uma grande quantidade de frutose chegando, ele tende a criar depósitos de gordura ao redor dele mesmo. 



Xarope de Milho de Alta Frutose

   Cinturas têm aumentado muito desde a invenção do xarope de milho de alta frutose, que entrou furtivamente na cena do alimento em torno de 30 anos atrás. Com um nível de frutose um pouco maior do que o açúcar, este adoçante faz muito estrago porque é adicionado a uma variedade de alimentos processados, incluindo pães, iogurtes, ketchup, barrinhas de cereal e até saladas -  coisa que, muitas vezes, se passam por saudáveis. Hoje, só nos Estados Unidos, as pessoas ingerem em média 200 calorias do xarope de milho de alta frutosa diariamente.

   O xarope de milho de alta frutose, quando ingerido, é armazenado como gordura no fígado e pode tornar as pessoas resistentes à leptina, hormônio que aumenta o apetite. 

Stevia

   Stevia é a opção mais segura de adoçante que existe. Todos os tipos de stevia são extraídos da mesma planta, mesmo alguns tipos tendo o gosto melhor e mais doce do que outros. Este adoçante contém zero calorias,  e o seu único defeito é que ele não funciona bem durante o cozimento de alimentos. 

Um comentário:

  1. Interessante...
    mas gostaria que houvessem comentado a respeito da sucralose, que é a moda do momento....

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.